segunda-feira, 27 de abril de 2020

Casos de derrame de jovens relacionados a Covid-19 aumentam no mundo

Foto: Reprodução/Pixabay

Médicos e análises têm indicado que pacientes com coronavírus estão apresentando um dos tipos mais mortais de Acidente Vascular cerebral (AVC). Conhecidos como AVCs hemorrágicos, esse tipo de episódio pode comprometer grande parte da área do cérebro responsável pelo movimento, fala e tomada de decisões de uma só vez, pois são adjacentes às principais artérias que irrigam o cérebro. Chama a atenção dos médicos e pesquisadores de quadros como esses cada vez mais recorrentes em pacientes com idades de 30 a 40 anos, que não estão na faixa etária considerada de risco para a Covid-19. A média de idade dos pacientes que costumam apresentar derrames tão severos é de 74 anos.

De acordo com reportagem do Estadão, muitos pesquisadores desconfiam que os derrames nos pacientes com o novo coronavírus estejam relacionados com problemas sanguíneos causados pela doença e que estão produzindo coágulos nos corpos de algumas pessoas.

Os coágulos se formam na parede dos vasos sanguíneos e podem se movimentar, isso significa que um coágulo que começou nas pernas pode migrar para os pulmões, por exemplo, e causar uma obstrução chamada embolia pulmonar, que prejudica a respiração. Essa é uma das causas constatadas em pacientes fatais da Covid-19. Coágulos no coração ou perto dele podem levar a um ataque cardíaco, outra causa comum de morte entre os pacientes. Qualquer coisa acima dessa área provavelmente seguiria para o cérebro, levando a um derrame, ressalta a reportagem.

O médico da terapia intensiva do Hospital Johns Hopkins, nos Estados Unidos, Robert Stevens, descreveu o derrame como “uma das manifestações mais dramáticas" do problema de coágulo no sangue. “Também cuidamos de pacientes na casa dos 30 anos que apresentavam derrame e teste positivo para Covid, o que foi extremamente surpreendente", disse ele. BN