terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Diretor da Mirabela e engenheiro afirmam que barragem da mineradora é uma das mais seguras do mundo: "risco é baixíssimo"

Foto: Giro Ipiaú

Diante da repercussão da tragédia ocorrida na última sexta-feira, 25, após o rompimento de uma barragem de rejeitos em Brumadinho, e da preocupação de moradores de municípios do médio e baixo Rio das Contas com a barragem da Mirabela, instalada em Itagibá, a reportagem do GIRO foi recebida na mineradora por Milson Mundin (diretor presidente da Mirabela) e Vagner Lima (engenheiro de barragem). Numa longa entrevista, ambos esclareceram a atual situação da barragem e afirmaram que ela é segura e que o risco de rompimento é baixíssimo. A segurança da barragem da Mirabela também foi atestada pelo especialista José Batista de Oliveira - professor de mina da UFBA, em um áudio no whatsapp compartilhado por ele no último sábado e direcionado à moradores de Itacaré.
Foto: Giro Ipiaú

Milson Mundim destacou a diferença da barragem da Mirabela às de Brumadinho e Mariana. "O primeiro ponto que a gente tem que lembrar é que essas duas barragens tem 40 anos de construção e nesse período a tecnologia da engenharia evoluiu. E para se ter uma ideia, hoje não é mais possível licenciar uma barragem que use o método construtivo utilizado por eles naquela época. Elas são feitas com o próprio rejeito da mineração e alteadas com montante, isso significa que vai colocando o rejeito em cima do próprio rejeito e vai aumentando a altura da barragem. A nossa barragem é bem diferente. Ela é feita principalmente com rocha (cerca de 83%) e não rejeito", destacou Mundim que ainda acrescentou: "O risco de acidente dela (barragem), em termo de rompimento, é baixíssimo".